Vencer x Ser justo

bc4446433b2761bec97ad79c8860a9dd

A Maratona de Dallas de 2017, acontecida no dia 11 de dezembro, ficará marcada como uma das mais emocionantes da sua História de mais de 46 anos. Isso porque as atletas Chandler Self e Ariana Luterman protagonizaram uma cena raramente vista em esportes tão competitivos como o atletismo.

Chandler liderava com folga a prova até o quilômetro 39, quando suas pernas começaram a falhar. Dois quilômetros depois a moça caiu em pista, totalmente esgotada pelo esforço que vinha sendo feito até então. Esse foi o momento em que Ariana se aproximou.

Ariana tinha a pista livre até a linha de chegada à sua frente, já que a única competidora mais rápida do que ela estava no chão. Entretanto, em vez de dar os últimos passos rumo à vitória, Ariana esforçou-se para levantar e carregar Chandler na reta final.

“Creio que comecei a delirar no final, não sabia o que estava acontecendo”, declarou Chandler. Ela ainda voltou a cair, mas foi reerguida por Ariana, como pode ser visto no vídeo abaixo.

Ao fim do dia, Chandler havia conseguido o segundo lugar, mas Ariana era tratada pela imprensa mundial como a vencedora da 48ª edição de uma das corridas americanas mais tradicionais.

Justiça no dia a dia

Ariana Luterman declarou à imprensa que nem sequer passou por sua cabeça a ideia de seguir em frente e ganhar a corrida. “A única coisa que me ocorreu foi socorrê-la”, declarou. “De maneira alguma iria correr e deixá-la assim”.

De acordo com a competidora, não seria justo tirar vantagem de uma fraqueza momentânea de sua concorrente para alcançar a vitória, ainda que essa parecesse, para muitos, a melhor atitude a ser tomada.

Responda sinceramente: quantas vezes você já viu alguém fraquejar e outra pessoa tirar proveito da situação para se engrandecer? Quantas vezes você mesmo fez isso?

Infelizmente, em nossa sociedade, o mais comum é ver as pessoas aproveitando quedas para transformar os outros em degraus. Mas essa não é a orientação bíblica.

 Não vos enganeis: de Deus não se zomba; pois aquilo que o homem semear, isso também ceifará Gálatas 6.7

Para o bispo Renato Cardoso, essa passagem ilustra a justiça divina, que jamais é falha, diferentemente da do homem.

Quem comete injustiça conscientemente semeia as lágrimas que chorará quando for injustiçado amanhã. Esta é uma lei universal da vida. Tudo o que vai, vem. O que você faz a outros, volta para você”, afirma ele. “Observe essa lei em ação ao seu redor. Não há juiz, nem corte, nem força policial que a impõe ou a faz cumprir. Porém, ela está em ação em todos. Você pode vê-la quando estuda a História. Você pode vê-la em sua vida. Há um poder maior que faz com que ela se aplique.”

Muitas pessoas, no momento em que estão cometendo injustiças, especialmente aquelas que trazem benefícios imediatos, acreditam que jamais serão descobertas. Conforme o bispo explica, elas pensam: “Você vai se safar. Ninguém vai saber. Você pode. Azar de quem não pode.”

Ariana poderia ter tido exatamente esse pensamento, mas deu a vitória a quem verdadeiramente a merecia. A admiração do mundo inteiro por ela é parte da recompensa que ela angariará por seus atos.

Como afirma o bispo Renato Cardoso, “a melhor alternativa é ser justo, sempre, não importa o custo, ainda que aparentemente você sairá perdendo.”

E você, tem sido justo em seu dia a dia? Reflita e compartilhe sua história nos comentários. Depois, repasse o bom exemplo de Ariana compartilhando essa matéria em suas redes sociais.

Fonte

Quer saber como ter o melhor Natal da sua vida?

Capturar

Para a maioria das pessoas, a época do Natal é sinônimo de festa. Neste período, muitas tentam trazer a ideia de união, paz, doação e acabam se voltando totalmente para o consumismo, comprando o que podem e o que não podem, e investindo numa alegria passageira. E, depois que os momentos de diversão passam, muitas vezes, restam consequências desastrosas: dívidas, acidentes e brigas pelo excesso de bebida, entre outros.

A melhor forma de evitar situações como essas é priorizar a Deus em sua vida. Ele é o único que pode preencher um espaço dentro de você que nenhum presente, festa ou pessoa é capaz de preencher. Se esse é seu interesse, no dia 24 de dezembro, às 18 horas, você poderá participar de uma reunião especial em todos os templos da Universal: a Santa Ceia de Natal.

Antes de se reunir com seus familiares, tome a atitude de valorizar primeiro o que é espiritual e eterno. Você receberá a presença de Deus e a levará para onde for.

O encontro acontecerá no Templo de Salomão, localizado na Avenida Celso Garcia, 605, no Brás, ou na Universal mais próxima de sua casa. Clique aqui para encontrar o endereço. Participe!

Fonte

Quando dar o ultimato no relacionamento

23eaf6993dfc015870da8da1a3768ee7

Chega um ponto em que não dá mais. Se você alcançou esse limite, saiba que não é o único a se perguntar: realmente vale a pena levar esse casamento adiante? Para você, e para todas as outras pessoas que já não suportam mais a situação em que vivem dentro de casa, os escritores Cristiane e Renato Cardoso, autores do livro “O Casamento Blindado 2.0 – Seu Casamento À Prova de Divórcio”, (foto abaixo) publicaram um vídeo na página da Escola do Amor, no Facebook.

Mas atenção! O casal ressalta que a mensagem descrita nesse texto é destinada apenas a quem já assistiu às duas mensagens anteriores. Se você ainda não as viu, clique nos links abaixo:

Agora, se você já assistiu às mensagens, as colocou em prática e, ainda assim, não obteve o resultado esperado, veja, a seguir, qual o momento certo para tentar fazer seu cônjuge reagir pela última vez.

A cartada final

De acordo com Renato Cardoso, a maioria das pessoas que segue as orientações das mensagens destacadas acima obtém a melhora em seu relacionamento. Por isso é preciso persistir durante alguns meses antes de decidir que nada funcionou e precisa dar a cartada final.

Se, ao final desse período, você mudou, mas o seu parceiro continua insensível às necessidades do casamento, é hora de exigir uma reação dele.

“Se você é uma pessoa problemática, o relacionamento está indo de mal a pior e aí você chega para a outra pessoa e dá o ultimato […] Esse ultimato não vai funcionar. Esse ultimato provavelmente vai acabar com o seu casamento. Mas quando você mudou e você se tornou uma pessoa muito melhor, uma pessoa valiosa, que a sua esposa não quer perder, que o seu marido não quer perder, então quando você força o outro a se posicionar com respeito ao relacionamento, ele ou ela vai ter que pensar assim: será que eu quero perder essa pessoa que tem sido uma pessoa tão boa para mim?”, explica Renato Cardoso.

Ou seja: primeiro é necessário corrigir os próprios erros e trabalhar na reconstrução do relacionamento, ainda que o cônjuge não faça o mesmo. Somente no momento em que você se torna o parceiro ideal é que pode cobrar uma reação do outro.

“Além de não ter dado mais razão para a outra pessoa reclamar, você agora, por ter se tornado uma pessoa muito melhor, aumentou o seu valor. Por isso ficará muito mais difícil para a outra pessoa querer te perder”, explica Renato.

A partir daí

Duas respostas podem surgir diante da exigência da mudança: ou a pessoa escolhe alterar seu comportamento e lutar pelo casamento ou ela se mostra verdadeiramente indiferente ao término.

“A razão diz que essa pessoa vai colocar a mão na consciência e dizer: eu tenho que mudar”, explica Renato. “Se você está com uma pessoa altamente egoísta, uma pessoa que está determinada a só tirar vantagem de você, se aproveitar de você, uma pessoa que não tem caráter e só está te usando enquanto puder para tirar a última gota desse bagaço de laranja, então ele ou ela não vai querer lutar pelo casamento e vai sair fora. Aí é o momento de você se valorizar. Aí é o momento de você realmente dizer: então, se você não quer, eu não permito mais que você continue me machucando nessa relação.”

Cristiane Cardoso explica que “quando a pessoa se retira do relacionamento, ela tira toda a acomodação. Então, agora se ela estava tirando proveito de você e você não está mais ali ela vai sentir a falta.”

Para Cristiane, “ela começa a dar valor àquilo que ela não tem mais. Isso é muito comum. Muitas pessoas só dão valor mesmo quando elas não têm. Quer dizer: às vezes, a única maneira de realmente mudar o seu parceiro é a separação. Não o divórcio, a separação para dar à pessoa aquele tempo para ela ver: realmente eu estou perdendo.”

Para saber mais como agir no relacionamento, participe da Terapia do Amor, todas as quintas-feiras. No Templo de Salomão, o encontro acontece às 10h, 15h e 20h. Para saber onde acontece essa palestra para a vida amorosa perto de você, clique aqui..

Confira a explicação completa do casal sobre o assunto:

Fonte

O clamor no Vau de Jaboque

Capturar

No dia 20 de dezembro próximo, às 20h (horário de Brasília), bispos e pastores de toda a Universal realizarão uma grande concentração de fé no Vau de Jaboque, no Oriente Médio, onde será realizada uma oração especial em favor daqueles que desejam alcançar a mudança de vida , por meio da fé em Deus.

Você poderá participar, em tempo real, desse momento único durante o encontro especial que ocorrerá no Templo de Salomão, localizado na capital paulista. Não perca essa oportunidade.

Jacó no Vau de Jaboque

O local foi escolhido em memória ao momento decisivo em que Jacó – filho de Isaque e neto de Abraão – teve um encontro pessoal com o Altíssimo e ali recebeu uma transformação completa em sua vida.

“Vau” é uma área rasa do rio Jaboque, o qual termina o seu curso no rio Jordão.

No passado, conforme a narrativa bíblica, Jacó retornava para a terra de seus pais e atravessou o rio Jaboque levando toda a sua família e os seus bens, quando recebeu a notícia de que o seu irmão gêmeo, Esaú, estava a caminho.

Jacó era uma pessoa que trazia o medo dentro de si, porque a vida inteira fugiu do irmão, que no passado planejou matá-lo. Ali, no Vau de Jaboque, triste e abatido, Jacó encontrou um Anjo, que tipificava a figura do Senhor. A partir daquele encontro, Jacó teve o nome mudado para “Israel” e uma nova história foi escrita em sua vida.

O seu “Vau de Jaboque”

Talvez, assim como Jacó, você também tenha carregado dentro de si, ao longo dos anos, uma grande decepção. Algo que, talvez, você não tenha revelado para ninguém, nem mesmo para a pessoa mais íntima da sua vida. Deus tem visto o seu interior e quer, nesse propósito especial de fé, mudar o “seu nome”, como mudou o de Jacó.

Para saber mais sobre a história de Jacó, clique aqui.

Leia também: “O que representa a escada do sonho de Jacó”.

Fonte