Rede aleluia
São Paulo
Centro-Oeste
Distrito Federal
Brasília
Mato Grosso do Sul
Campo Grande
Mato Grosso
Cuiabá
Goiás
GoiâniaAnápolis
Nordeste
Sergipe
Aracajú
Ceará
Fortaleza
João Pessoa
João Pessoa
Alagoas
Maceió
Rio Grande do Norte
Natal
Pernambuco
RecifeGaranhuns
Bahia
SalvadorFeira de SantanaIlhéusItabuna
Maranhão
São Luiz
Piauí
Teresina
Norte
Pará
Belém
Roraima
Boa Vista
Amapá
Macapá
Amazonas
Manaus
Tocantins
Palmas
Rondônia
Porto Velho
Acre
Rio Branco
Sudeste
Minas Gerais
Belo HorizonteJuiz de ForaUberlândia
Rio de Janeiro
Rio de JaneiroAngra dos ReisBarra MansaCabo FrioCampos dos GoytacazesMacaéVolta Redonda
São Paulo
São PauloAraçatubaAraraquaraBauruCampinasCatanduvaFrancaJaúJundiaiLimeiraMaríliaPiracicabaPraia GrandePresidente PrudenteRibeirão PretoSantosSão CarlosSão João da Boa VistaSão José do Rio PretoSão José dos CamposSorocabaVotuporanga
Espírito Santo
Vitória
Sul
Paraná
CuritibaFoz do IguaçuCascavelLondrinaMaringá
Santa Catarina
FlorianópolisBlumenauCriciúma
Rio Grande do Sul
Porto AlegrePelotasRio GrandeSanta Maria

Algo a comemorar?

Daniel-Alves-Barcelona-2013 Já se passaram 126 anos, mas a população negra ainda vive aprisionada em todo o País pelo racismo

A Lei Áurea, assinada em 13 de maio de 1888 pela princesa Isabel, marcou a extinção da escravidão no Brasil ao autorizar a libertação de milhares de escravos. Já se passaram 126 anos, mas a população negra ainda vive aprisionada em todo o País, seja pelo racismo, seja pelo preconceito que ainda persistem. Será que a data celebra, de fato, o início da liberdade?

A Lei Áurea, assinada em 13 de maio de 1888 pela princesa Isabel, marcou a extinção da escravidão no Brasil ao autorizar a libertação de milhares de escravos. Já se passaram 126 anos, mas a população negra ainda vive aprisionada em todo o País, seja pelo racismo, seja pelo preconceito que ainda persistem. Será que a data celebra, de fato, o início da liberdade?

Ainda são noticiados casos de trabalho escravo no Brasil, em que mulheres, crianças e homens de todas as idades são explorados. As desigualdades persistem e comprovam que o processo de abolição não foi concluído com uma simples assinatura da realeza. A discriminação não chegou ao fim e ainda há um longo caminho para que a igualdade seja firmada na sociedade.

Recentemente, o jogador Daniel Alves, lateral do time espanhol Barcelona, foi ofendido durante uma partida pela torcida rival, que jogou bananas no campo, associando-o a um macaco. O atleta comeu a fruta, respondendo ao insulto de forma inusitada. “Estou na Espanha há 11 anos e há 11 anos é dessa maneira. Temos de rir dessa gente atrasada”, disse ao final do jogo. O caso aconteceu fora do Brasil, mas muitos brasileiros declararam repúdio ao ato em diversas redes sociais.

Esse não é o primeiro caso de atleta brasileiro a sofrer preconceito em outro país. O volante Tinga, do Cruzeiro (MG), foi insultado com sons que imitavam o guinchar de um macaco, na partida contra o Real Garcilaso, em março, no Peru. A Confederação Sul-Americana de Futebol (Conmebol) multou o time peruano em US$ 12 mil. Tão importante quanto lembrar que o racismo precisa ser combatido é reconhecer a importância da denúncia e colocá-la em prática.

Dados do Censo de 2010, do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), revelaram que a população negra (que inclui pretos e pardos) superou a branca naquele ano. Os negros são maioria no País e representam cerca de 51% do total de brasileiros. Ainda assim, ganham salários menores e são mais expostos à violência.

As disparidades ainda são exorbitantes e o grau de escolaridade está longe de ser equiparado – na verdade, falta educação de qualidade para todos. Segundo dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD) do IBGE, 13% dos negros com idade a partir de 15 anos ainda são analfabetos. Quantas abolições serão necessárias para que o negro seja respeitado na sociedade?

Pensando nisso, a Universal promoverá o “Dia Universal do Orgulho Negro”, que será realizado no dia 31 de maio, a partir das 10 horas da manhã, nos estados da Bahia e do Rio de Janeiro. Confira mais informações no site www.sounegro.com.br

 

Universal.org

Deixe uma resposta

Seu e-mail não será publicado.

três × 3 =