c

O clima de final de ano causa nas pessoas retrospectivas e perspectivas. Projetos que precisam realizar, balanço de como foi o ano que está terminando, lembrança das alegrias e tristezas vividas.

O período também é marcado por planos. Muitos focam suas forças em passar a virada num lugar famoso para ver os fogos, escolhem a dedo a melhor roupa com a cor da “sorte” e não deixam de lado as superstições. Tudo na esperança de terem um ano novo de paz e com proteção.

O que poucas pessoas priorizam é o que Jesus disse ser o mais importante: a alma. E, por não se preocuparem com isso, entra ano e sai ano estão do mesmo jeito ou pior. Há quem, durante a festa, brigue com o familiar, termine um relacionamento e até seja apresentado às drogas. Enfim, o que era para começar bem, segue de forma errada e se estende pelo ano todo assim.

Mas aqueles que optam por encerrar o ano velho e começar o ano novo na Presença de Deus recebem um fortalecimento espiritual incomparável a qualquer emoção proporcionada pelos atrativos da data e, certamente, alcançarão vitórias em todos os sentidos da vida, não apenas um dia do ano, mas pelos 365 dias.

amigos

Há sete meses frequentando a Universal de Del Castilho, no Rio de Janeiro, a contadora Tábata Monteiro, de 32 anos, e o administrador Fabrício Magalhães, de 33, (casal à direita na foto) passaram pela primeira vez a virada na presença de Deus. Tábata, que sempre rompia o ano em festas, aceitou o convite da amiga, Bárbara, para participar da reunião no Templo de Salomão, na capital paulista. “Programamos a viagem com dois meses de antecedência para evitar qualquer contratempo”, relatou Fabrício. “Estar aqui é algo novo para nós, não só por ser a primeira vez no Templo, como também por passar o Réveillon na igreja. Cremos que será um ano abençoado”, destacou Fabrício.

Uma vida sem medo

esconderijo

A expectativa de um ano bom, relatada pelo casal, não é compartilhada pelos especialistas. O prognóstico para o ano que se inicia não é dos melhores. O crescimento econômico previsto para o País não passará de 2%. O aumento de R$17 no salário mínimo é o menor dos últimos 22 anos e, por ser ano de eleição, os grandes investidores preferem não arriscar. Mas toda essa previsão negativa é para quem está fora do Esconderijo do Altíssimo, como ressaltou o bispo Renato Cardoso, responsável pelo trabalho da Universal no Brasil, durante a reunião no Templo de Salomão.

O bispo explicou que o caminho para esse Esconderijo é pela Porta, que é o Senhor Jesus. Mas não adianta passar por essa Porta e apenas “visitar” o Esconderijo do Altíssimo quando os momentos difíceis chegam. É preciso fazer de Jesus a morada permanente. Só assim as pessoas viverão as promessas descritas no Salmo 91 e terão uma vida sem medo.

“Há quem tenha tido medo até de viver coisas boas, como casar. Mas Deus não nos dá espírito de medo, mas de coragem e poder”, destacou o bispo, explicando que as regras de Deus são para o nosso bem, nossa proteção e que, quando obedecemos à Sua Palavra, o medo não pode entrar em nossas vidas.

“Para vencer o espírito do medo, é necessário se encher do Espírito de Deus. Entrar em Seu Esconderijo e viver em obediência irrestrita a Ele, sendo uma pessoa de palavra, de disposição para fazer o que Deus lhe pede. Se você andar com Ele, Ele vai lhe proteger”.

Mais do que um novo ano, uma nova vida

batismo recomeço

Um diferencial dessa virada de ano foi que aqueles que queriam mais de Deus decidiram se batizar nas águas, nos últimos momentos do ano velho, deixando também para trás a vida velha. Mais de 45 mil pessoas em todo o Brasil tomaram essa decisão. Quase um estádio de futebol lotado, se compararmos com a capacidade do Arena Corinthians, em São Paulo, que é de 49 mil lugares. No Templo de Salomão foram quase 600 batizados.

A dona de casa Patrícia Gouveia, de 40 anos, foi uma dessas pessoas. Há dois meses frequentando o Templo, ela despertou para essa necessidade. “Eu tinha uma Bíblia em casa, mas não a lia. Quando comecei a vir nas reuniões e a conhecer a Palavra, tomei a decisão de me batizar. Agora, meu coração está leve e quero ser um instrumento na mão de Deus, para que outras pessoas tenham essa paz que eu estou tendo agora”, contou ao sair das águas batismais.

E se para Patrícia era o começo, para o bombeiro Jucimar Francisco dos Santos, de 43 anos (foto), foi o recomeço. Ele que, 20 anos atrás, já tinha apenas passado pelas águas, diante das lutas, não soube permanecer na fé e fazia 7 anos que estava afastado da Presença de Deus. Um dia, durante uma ocorrência para socorrer uma pessoa que tinha infartado, ele recebeu um convite inusitado. “Ela era membro da Universal e disse que, se naquele momento tivesse que fazer um último pedido, ela gostaria que fôssemos à Igreja”, relembra Jucimar que, alguns dias depois, resolveu ir ao Templo de Salomão.

“Eu demorei a aceitar que precisava me batizar e recomeçar a minha vida com Deus. Estou mais leve e só tenho expectativas fortes para essa nova vida”, relatou.

Os novos batizados serão acompanhados por meio de uma reunião semanal realizada especialmente para eles.

Se você também deseja se batizar nas águas e começar uma vida nova com Deus, não protele mais essa decisão. Procure uma Universal o quanto antes e se batize. Encontre o endereço de um templo perto de você, clicando aqui.

Fonte

 

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

dezoito + 10 =